Em setembro aconteceu em Genebra na Suíça o Congresso Europeu de Dermatologia. Muitas novidades nas áreas de Dermatologia Clínica e Estética foram apresentadas.

A nova tecnologia de Radiofrequência Fracionada com microgulhamento de ouro foi muito comentada das aulas. O tratamento age estimulando a produção de novo colágeno e melhora a flacidez de maneira gradual ao longo de seis meses após o tratamento. Além da melhora das rugas e dos sinais do envelhecimento, também é indicada para o tratamento de estrias e cicatrizes de acne.

No tratamento das alopecias, o uso de laser e LEDs pra a fotobiomodulação, ajudando no estímulo ao crescimento dos cabelos, e o microagulhamento associado ao uso de medicamentos em uma técnica conhecida como drug delivery, são boas alternativas para aceleram resultado do tratamento tópico

Na atualização sobre melasma foram discutidas as opções de tratamento e o filtro solar adequado, que deve proteger do ultravioleta A e B e da luz visível. A proteção contra a luz visível é fundamental, principalmente na pele morena, pois esta radiação induz ainda mais hiperpigmentação neste tipo de pele do que na pele clara. Quando o tratamento local não tem resultado satisfatório, os procedimentos citados com melhor resultado foram os peelings químicos e o laser fracionado de erbium não ablativo.

A luz solar tem vários benefícios para organismo, como a produção da vitamina D e de beta endorfina, que dá a sensação de bem estar relacionada a exposição ao sol. No entanto a exposição além do recomendado provoca o envelhecimento e câncer de pele. É importante controlar a exposição diária ao sol para que os riscos não sejam maiores do que os benefícios que a radiação ultravioleta pode trazer para o nosso organismo.

Além disso, novos cosmecêuticos foram lançados para o tratamento do envelhecimento facial e também novos protocolos para os tratamentos faciais e corporais.