Os antioxidantes e a pele

O organismo humano está exposto a vários fatores externos, como exposição ao sol, cigarro, stress, poluição e algumas substâncias presentes nos alimentos; e também a fatores internos que liberam radicais livres. Estes radicais livres provocam danos as proteínas celulares e ao DNA, através de reações de oxidação, e podem afetar a sobrevida celular e promover o desenvolvimento de doenças.

Os antioxidantes são substâncias com capacidade de neutralizar os radicais livres. Na alimentação encontramos a fonte dos antioxidantes necessários para nosso consumo diário. Alguns tem ótima ação para neutralizar os radicais livres como o extrato de oliva,  cravo da índia, resveratrol (da uva), canela, vitamina C e E, cacau, açaí, romã e mirtilo, por exemplo.

No entanto, em muitas situações a alimentação não é completa o suficiente para fornecer a quantidade necessária destas substâncias, e a suplementação pode ser indicada por via oral. 

Na dermatologia, há relatos sobre uso de antioxidantes para reduzir o dano provocado pelo sol na nossa pele, reduzir a degradação do nosso colágeno e melhorar a hidratação da pele. Os mais usados são Polypodium leucotomus, picnogenol, pomegranate, resveratrol e licopeno, dentre outros.

Muitas substâncias também são usadas em cosméticos para a prevenção do envelhecimento. Produtos com vitamina C, vitamina E, ácido ferúlico, chá verde e Coffee Berry, por exemplo, estão disponíveis e com bom resultado na melhora da aparência da pele.

O dermatologista é o profissional que orienta qual a necessidade de cada paciente e qual seria a melhor opção de antioxidante para o seu tratamento.